domingo, 25 de janeiro de 2015

O último de 2014!

Fomos de avião à Recife - Pe, onde meus pais moram, para passar as festas com eles.

No pequeno intervalo entre o Natal e o Ano Novo, montamos na minha antiga guerreira e atual do meu pai e fomos conhecer Bonito-Pe, 150km distantes de Recife.

Uma cidade que tem Bonito no nome com certeza tem alguma coisa!

Subimos a Serra das Russas sentido Gravatá e na cidade de Bezerros (pouco antes de Caruaru) pegamos uma outra estrada sentido Bonito.

A cidade dá calorosas boas vindas na entrada. Paramos no centro de informações turísticas e ali tivemos uma péssima notícia, que viria a se repetir em outros lugares: a maioria das cachoeiras fecha às segundas e terças, algumas só ficam abertas de sexta a domingo. Como era uma segunda-feira, acabamos vendo apenas uma cachoeira, a famosa Véu de noiva l, grande e sem poço para banho na parte baixa, apenas na parte alta antes da cachoeira, com água bem gelada e transparente.

À propósito, não se precisa de guias por lá. Mas eles vão tentar te convencer do contrário. Como sou macaco véio dispensei e fui seguindo as indicações das placas e do GPS.

Todas as cachoeiras são na mesma estrada, a mais longe dista uns 15km da cidade. Algumas são exatamente na beira da estrada, algumas você tem que andar alguns poucos kms pra chegar (2 ou 3km no máximo).

No Centro de Informações Turísticas, não tinha mapa disponível

Serrinha a caminho da primeira cachoeira

Véu de noiva 1, com pouca água


Cordas para rapel
Passamos na frente dos sitios das outras cachoeiras principais de Bonito mas como o atendente do CIT nos havia informado, estavam fechadas á visitação. Fica aí um motivo para retornarmos!

A impressão que fica de Bonito-PE é que falta muito a ser aproveitado pela cidade ainda.

As áreas de plantação ao redor das cachoeiras, os canos que coletam água da cachoeira pra uso no restaurante e em irrigação, tudo isso acaba "matando" um pouco o clima que esperamos numa cachoeira.

Mas no geral foi um bom passeio. Imagino que aos poucos a tendência é melhorar a qualidade do turismo na região, já que ao que parece é uma das principais fontes de renda da região e em crescimento.

Voltamos ao Recife no mesmo dia.

Depois da virada saímos para outro passeio mais longo, mas esse fica pro próximo post!

Abraços e bons quilômetros!

Vem que vem 2015!

Pois é!

Lá se foi 2014, e lá se foram as tão esperadas férias. E agora, pelo menos para mim, 2015 começa de verdade.

Não posto nada a um tempo por causa delas, e também pois meu computador resolveu se aposentar de vez, bem enquanto desenvolvia uma matéria sobre arrumação de bagagens que tenho certeza que de irão gostar quando estiver pronta.

Bom, nessas férias teve de tudo, de cusparada vinda de janela de ônibus à dor de estômago em praia deserta, de manhãs em águas cristalinas do nordeste a noites estreladas na Serra da Canastra, da "maré" de São Thomé das Letras às águas extremamente geladas do Parna Itatiaia no RJ.

Ao longo dos próximos dias irei relatar as aventuras e desventuras desse blogueiro de meia tigela que vos fala e sua brava companheira que o acompanhou em (quase) todas as suas loucuras. Espero que gostem!

Em Penedo-AL, próximo a foz do Rio São Francisco

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Desbravando Taubaté - um pouquinho mais longe!

Desbravando mais um pouquinho da minha cidade, na semana do seu aniversário de fundação.

Sai pouco antes das 16:00h, com o GPS e vontade de achar algum lugar legal por perto como da ultima vez.

O primeiro trecho que fiz já me trouxe várias memórias: do Comando da Aviação do Exército até a Toca da onça, fazenda onde realizamos os nossos "campos". Mas uma estrada sem atrativos.

Dali segui rumo a Rodovia Oswaldo Cruz, chegando próximo a cidade de Redenção da Serra. Antes de chegar no centro da cidade, peguei uma estradinha de terra, com a idéia de voltar por ali. Acabei encontrando umas estradinhas tão gostosas de andar que estendi o passeio! Na bifurcação que se seguia, fui sentido Caçapava.



Com um visual desses dava pra ficar olhando o dia todo!

Dava vontade de andar o dia inteiro!

Alguns quilômetros à frente, e no GPS indicava uma estrada usada pelo BigBiker, uma competição de ciclistas aqui da região. Resolvi seguir por ela para já fazer o retorno, afinal era um dia de semana e tinha que buscar a patroa no trabalho!

Essa estrada era sensacional! Muito boa de subir, bem acidentada, cheia de obstáculos. Depois da subida planície e uma estrada larga onde dava pra andar a 90kmh. Aqui não rolou foto pois estava rolando muita diversão hehe.

Vi uma formação ao lado da estrada, com árvores recobertas por um "cobertor" de trepadeiras e folhas, e resolvi parar para tirar uma foto. Desliguei a moto para curtir o momento, e qual minha surpresa ao ver que não havia silêncio, mas um som que há muito buscava: água caindo! e forte!

Parede verde

Na foto não deu para focar direito, mas tem uma queda d'agua linda ali atrás!!!
Procura daqui, procura de lá, e pelo vão entre as árvores consigo ver uma belíssima queda d'agua, com suas corredeiras de pedra e nenhum acesso, nem á pé. E olha que procurei bastante. Acho que só dá pra chegar pelo próprio rio, e isso fica pra uma próxima investida.

Ponte logo após a queda



Alguns poucos quilômetros e chegamos ao bairro de Caçapava Velha. Que não tem acesso à Carv Pinto, apenas à Dutra bem mais acima.

Igrejinha no meio do mato

Lá no fundo o bairro de Caçapava Velha

Resolvi voltar pela estrada do Barreiro, que já sai mais perto do centro de Taubaté. Estava com pressa, já tinha passado do horário de saída da patroa e estava vindo num ritmo forte, pulando as lombadas e ultrapassando onde dava e onde quase não dava.

Chegando próximo ao centro, escuto sirenes e olho no retrovisor: 4 XREs da ROCAM com sirenes ligadas estavam à minha volta. Um deles me fazia sinal para encostar.

Pensei: "Fodeu!"

Encostei a moto pianinho, dando seta, fui tirando o capacete e pegando os documentos quando escuto:

"- Ei, precisa disso não, só queria saber onde você comprou esses protetores de mão pra sua moto"

Um alívio tomou conta e dali desandamos a conversar no meio da rua com as sirenes ligadas por um bom tempo sobre motos, acessórios e viagens!

Isso só prova que educação e respeito é a chave pra quem reclama de ser destratado pelos Policiais. Ninguém gosta de ser destratado, principalmente no exercício da sua função. Ali fiz mais alguns amigos!

Esses pequenos passeios estão me surpreendendo. Nunca pensei que encontraria essas coisas tão perto de casa. Essa voltinha foi feita em 2:30h e cerca de 60km, não sei exatamente pois não marquei.

E você, tem conhecido sua região e se surpreendido também?

domingo, 30 de novembro de 2014

Desbravando Taubaté

Para espairecer após um estressante dia de trabalho, nada melhor do que ir para o meio do silêncio e da natureza. Conhecer os entornos da própria cidade é uma vantagem já que nem sempre há muito tempo nos dias de semana.
Saí do trabalho, apontei o GPS pra uma direção onde não conhecia muito e fui desbravar um pouco até o por-do-sol. 
Me surpreendi com o que encontrei e fiquei muito feliz. Nunca ia imaginar encontrar paisagens dessas do lado de casa. 
Seguem algumas fotos e o tracklog do passeio. 


As Possibilidades da região são muitas!!!









Até mais e bons quilômetros!

domingo, 16 de novembro de 2014

Rolê da república!

No feriado de 15 de Novembro, mais um em um sábado, dádiva para mim!

Era hora de cair na estrada. Dessa vez, a patroa não escapou das garras do comércio e ficou na "lujinha" enquanto eu fui pra cima da moto.

Meu roteiro, desenhado no GPS era pra ser bem maior, mas o clima (todo feriado tem que chover, não adianta, alegria de pobre dura pouco mesmo) e uma festança no dia anterior fizeram meus planos encolherem como se tivessem sido encharcados pela primeira vez.

A idéia era sair de Taubaté cedo, seguir para Campos do Jordão pela serra mesmo, Itajubá-MG por terra, descer até Delfim Moreira e seguir pelas estradas de terra que passam perto do pico dos Marins e Marinzinho, chegando até próximo de Itatiaia RJ e dar a volta no parque por trás pela serra, voltando pelo asfalto.

No fim das contas, saí tarde de Taubaté, em Campos a friaca já esperada apareceu, em Itajubá junto com a friaca veio a garoa e a sensação térmica desabou. Quando cheguei em Delfim Moreira perdi a entrada que estava procurando e acabei em Piquete, e dali resolvi retornar pelo tempo pouco amigável.

Seguem algumas fotos da GoPro e do celular. A câmera me deixou na mão nesse passeio.












segunda-feira, 6 de outubro de 2014

FDS "Prolongado" - Ibitipoca e São Lourenço

Feriado, no sábado, pode parecer inútil pra muita gente. Mas para mim e milhões por ai, significa um fim de semana "normal" de vez em quando, já que  trabalhamos normalmente.

Era a chance que eu esperava pra retornar a pequenina Conceição do Ibitipoca - MG.

Ano passado fui no Nacional do TenereClub por lá e me apaixonei pela cidade, mas não consegui entrar no Parque Estadual, que é a sua maior atração.

Preparei tudo na semana que antecedia o feriado de 4 de Outubro, aniversário da cidade de Taubaté. Separei a Barraca, os colchões, cobertas e etc já esperando o frio que a previsão anunciava.

Ainda bem que abortei a idéia do camping aos 45 do segundo tempo.

Raras vezes na minha vida motoqueirociclística passei tanto frio em cima de uma moto.

Pegamos a estrada as 13:45 prevendo chegar as 19:00 em Ibitipoca. Passando Caxambú, o céu mudou repentinamente, ficou nublado e ventava muito. A sensação térmica era muito, mas muito baixa e nós (a corajosa patroa estava na garupa) não estávamos preparados.

Nos últimos 100km simplesmente colei a mão no fim do curso com a valente Tenerezinha indo aos 130km;h nas descidas (afinal estava completamente carregado, baú e alforges). O consumo foi digno de uma 600.

Chegamos em Lima Duarte às 18:00h, a garupa queria parar por ali mas já que eram apenas 30km de terra até o destino final resolvemos acelerar. Entramos na estrada ainda claro, e chegamos já havia anoitecido. Paramos na pousada Ibitilua 40min depois, cansados e tremendo de frio.

Duas pizzas depois encerrávamos o dia, sem banho pois o chuveiro malemal conseguia deixar a água morna.

Sábado prometia!

Acordamos pouco depois das 6 com muito frio. Tomamos um café na padaria Ibitipão e fomos para o parque. Pela previsão chegou a 6graus durante a madrugada mas a sensação térmica era menor!

Eu queria muito fazer a Janela do Céu para no domingo fazer o circuito das águas, mas ainda estou treinando a companheira hehe. Fomos direto pro caminho das águas.

Realmente o Circuito é lindo, uma pena que estava udo tão seco e frio.












Terminamos na hora do almoço e resolvemos ir embora, encurtar a viagem para o dia seguinte e procurar um lugar mais quente.

Comemos num restaurante excelente ao lado da pousada, não me lembro o nome mas foi o melhor feijão tropeiro que já comi, e não foi tão caro.

Em seguida era hora de seguir viagem. O destino inicial era Caxambú - MG, mas ao chegar sinceramente não gostei da cidade, além dos preços serem além do que poderia pagar.

Como já conhecia uma alternativa, andamos mais 20km até São Lourenço, cidade linda, extremamente agradável e barata, pra fazer uma média né!

Ficamos na pousada Terra das Águas, Cama confortável, banheiro bom com chuveiro quentinho, garagem e um café da manhã sensacional por R$90 o casal!

Andamos um pouco pelo centrinho e fechamos o dia com dor de estômago e sem comer nada.

Domingo era dia de conhecer o Parque das Águas!






Um horto lindo e muito bem cuidado.

A entrada é R$6 por pessoa e dá direito a um retorno.

Em resumo, Ibitipoca é mais aventura e São Lourenço, (BEM) mais coxinha.

Até a estrada pro pico onde a galera salta de asa delta estava fechada. Uma pena.

E esse foi o nosso fim de semana para tirar o estresse da mente!

Recomendo os dois destinos e com certeza passarei por lá de novo.

Saldo final: 750km e uma mente descansada por mais um tempo ( ou pelo menos até o feriado de 15 de novembro, outro sábado!)

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Escapadinhas!

Durante a semana o stress acumula e nada melhor do que moto pra relaxar.
Esse último fim de semana choveu bem quando havia marcado um passeio com a galera do TenereClub... entao segunda fez um tempo bom e decidi nao desperdiçar!

Esse lugarzinho se chama São Gotardo, fica no miolo do mato entre Santo Antonio do Pinhal, Taubate e Caçapava, no começo é uma boa estrada de terra, depois vira estradinha passando por varias fazendas.

Rolê rapido de cerca de 2h pra quem sai da região.

Chegando em São Gotardo

Passando pelos sítios, primeiro atoleiro

Segundo atoleiro!


Pontezinha!

E assim vamos matando a vontade de andar de moto!